English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

1 de abril de 2010

Viveu letras de músicas.

               “Sou das canções” (1). Sai dos “bastidores” (2) “sem fantasia” (3), passei por um “folhetim” (4) “sob medida” (5) , fiquei “desafinado” (6) na “balada triste” (7), quando “um rouxinol cantando se hospedou em mim” (8).
               Faltam “versos simples pra transformar o que eu digo’’(9), em “longas cartas que faço pra ninguém” (10). “Subo bem alto pra gritar” (11 ), mas “falo pouco, a voz está tão presa” (12), “suspirando em falsete coisas que eu não sei contar”(13).
               “Se você não entende não vê, se não vê não me entende” (14) “em outros risos e outros timbres” (15). ” Jurado pra morrer de amor” (16), “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é” (17).
               “Aprendendo a só ser” (18), “no meio das bugigangas” (19), “maltrapilho e maltratado” (20), “meu coração finge fazer mil viagens” (21). “O destino não quis me ver como raiz” (22), “até quando o corpo pede um pouco mais de alma” (23).
                “Estou ao meio, não moro mais em mim” (24). “Vivo num cenário do lado imaginário. Meu mundo está fechado pra visitação” (25). “Nada ficou no lugar” (26). “Se ligarem não estou” (27).
               Ando “com qualquer humor, com qualquer sorriso” (28). “Do jeito que eu fiquei e que tudo ficou” (29), “nem aquilo a que me entrego já me traz contentamento” (30). “Na moldura do retrato não sou eu quem sorri” (31). ”A melancolia não sai de mim, não sai” (32). “Quero chorar, não tenho lágrimas” (33).
               “Caminhando contra o vento” (34), “parto a procura de nada” (35). No “chão de giz” (36), “salpicado de estrelas, piso nos astros distraído” (37). “Tropeço em meu caminho” (38), “vagando em verso” (39), com “a ponta de um torturante bandaid no calcanhar” (40).
               “Agora estou tão longe ver a linha do horizonte me distrai” (41). Como aquele “que se encanta mais com a rede que com o mar” (42), “a onda me acerta” (43) com uma “saudade que bate que nem maré” (44). “Lá fora o frio é um açoite” (45). “O vento me traz o que quero esquecer” (46) das “migalhas” (47) do que “é de sonho e de pó” (48).
               “Quanta loucura por tão pouca aventura” (49). Com “nervos de aço” (50), vou “controlando minha maluques, misturada com minha lucidez” (51), mas “desbaratino não dá pra ficar imune” (52).
               “Se me der na telha sou capaz de enlouquecer e mandar tudo pr’ aquele lugar“ (53), assumindo o papel de culpado e bandido, numa estranha loucura” (54), quando tenho que “contar até três e se precisar contar outra vez” (55). “Perdi o juízo e não me responsabilizo, nem por mim, nem por ninguém (56).” “Um louco alucinado meio inconsequente” (57), “não tem explicação” (58).
               “Pode crer, eu estou bem, eu vou indo. Estou tentando, vivendo e pedindo com loucura” (59) pra “crescer a voz no que falta sonhar. A lição sabemos de cor e não custa inventar uma nova canção” (60).
               “Fico com a pureza da resposta das crianças”(61) e “em paz com a vida e com o que ela me traz” (62). “Essa canção é só pra dizer e diz” (63) que “enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso, faço hora vou à valsa” (64). “São dois pra lá, dois pra cá” (65).
Observações:
a) Grande parte dos versos foi adaptada e as citações têm o título da música com o compositor ou um de seus intérpretes.
b) (1) Chama/Joana; (2) Bastidores/Chico Buarque; (3); Sem fantasia/Chico Buarque; (4) Folhetim/Chico Buarque; (5) Sob medida/Chico Buarque; (6) Desafinado/ Tom Jobim; (7) Balada triste/Altemar Dutra ; (8) O rouxinol/Milton Nascimento; (9) Mais feliz/Adriana Calcanhoto; (10) Inverno/Adriana Calcanhoto; (11) Elevador/Ana Carolina; (12) Pai/Fábio Júnior; (13) Paixão/Cláudia Leite; (14) Primeiros erros/Capital Inicial (15) Na sua estante/Pitty; (16) Meu bem querer/Djavan; (17) Dom de Iludir/Gal Costa; (18) Eu preciso aprender a ser só/Maysa; (19) Mutante/Rita Lee; (20) Com açúcar e com afeto/Chico Buarque; (21) Naquela estação/Adriana Calcanhoto; (22) Flor de Liz/Djavan; (23) Paciência/Lenine; (24) Metade/Adriana Calcanhoto; (25) Coisas que eu sei/Dani Carlos; (26) Mentiras/Adriana Calcanhoto; (27) Nuvem negra/Djavan; (28) Só hoje/Jota Quest; (29) Do jeito que eu fiquei/Tom Jobim e Dolores Duran; (30) Canteiros/Fagner; (31) Detalhes/Roberto Carlos; (32) Chega de Saudade/Tom e Vinícius; (33) Não tenho lágrimas/ Ivete Sangalo; (34) Alegria, Alegria/Caetano Veloso; (35) Caminhemos/Herivelto Martins; (36) Chão de giz/Zé Ramalho; (37) Chão de estrelas/ Maria Betânia; (38) Fera Ferida/Maria Betânia; (39) Andança/Beth Carvalho; (40) Dois pra lá, dois pra cá/Elis Regina; (41) Vento no litoral/Renato Russo; (42) Lua e flor/Oswaldo Montenegro; (43) Vento no litoral/Renato Russo; (44) Que nem maré/Jorge Vercilo; (45) Fica comigo essa noite/Nelson Gonçalves; (46) Sem ar/D´Black; (47) Migalhas/Simone; (48) Romaria/Elis Regina; (49) Um dia, um adeus/Guilherme Arantes; (50) Nervos de aço/Paulinho da Viola; (51) Maluco beleza/Raul Seixas; (52) Lança Perfume/Rita Lee; (53) Shangrilá/Rita Lee; (54) Estranha loucura/Alcione; (55) Sua estupidez/Roberto Carlos; (56) Paixão/Cláudia Leite; (57) É o amor/Zezé di Camargo e Luciano; (58) Segundo sol/ Cássia Eller; (59) Pai/Fábio Júnior; (60) Sol de primavera/Beto Guedes; (61); O que é, o que é/Gonzaguinha; (62) Emoções/Roberto Carlos; (63) Você é linda/Caetano Veloso; (64) Paciência/Lenine; (65) Dois pra lá, dois pra cá/Elis Regina.

9 comentários:

CLAUDIA MAGNÓLIA disse...

Ficou muito bacana. Outro dia estava tentando fazer parecido só com as letras de Djavan...mas deu muito trabalho e eu desisti...rs

beijos

Bleffe disse...

Mais de 3200 downloads de suas músicas. Tá na hora de você conhecer o som do Bleffe

http://bleffepoprock.blogspot.com/

Se gostar, pode baixar, é DE GRAÇA!!!

http://bleffepoprock.blogspot.com/p/baixe-nossas-musicas-gratis.html

Ronaldo disse...

Intertextualidade bacaníssima! Um diálogo com os maiores... uma forma de expressar ideias de forma muito elegante, sublime e sincera...

Ronaldo disse...

Elegantíssimo! Intertextualidade bacaníssima. Uma forma de expressar ideias de forma muito elegante, sublime e sincera...

L disse...

"olha que coisa mais linda..."

Silvio disse...

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará.........
............................
Nada como uma onda, depois uma onda e uma outra onda
Abraços

Calcanhar de Aquiles disse...

Para Silvio amigo.
"Das lembranças que trago você é a saudade que eu gosto de ter".
Abração fraternal.

Sandro Batista disse...

"Eu pensei, te dizer, tantas coisas... Mas pra que, se eu tenho a música?" (Bem Simples - Roupa Nova).

FANTÁSTICO!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Isabela Cruzeiro disse...

PERFEEEEEEEEEEEEEEEEEEITOOO *-------*

Há bastante tempo atrás fiz algo parecido pra profile de orkut.. nem sei mais por onde anda rs

AMEEEI. *-*
Parabens mesmo
Queria ter o dom de escrever tão bem como voce